Reunião de Câmara

Os vereadores do PS continuam a defender os municipes

Na passada 4ª feira decorreu mais uma reunião Pública de Câmara em que, como é habitual, os minutos iniciais foram destinados à intervenção do público, tendo um conjunto de munícipes colocado diversas questões sobre vários problemas no concelho.
Sobre a Freguesia de Alhos Vedros um munícipe lamentou a existência de baratas de apreciável dimensão, bem como árvores cujas copa invadem a rodovia.
A Freguesia da Moita foi a mais referenciada nas situações levantadas. Um munícipe alertou para a pintura das passadeiras que embora pintadas há pouco tempo a tinta já não se vê e, ainda, para o estado dos eucaliptos junto à estrada do Juncalinho, que segundo ele, estariam mortos e que poderiam colocar em causa a segurança.
Estiveram também presentes encarregados de educação de alunos do 1º. Ciclo da escola do Palheirão informando o executivo sobre o excesso de calor que os seus filhos enfrentam na sala de aula sentindo-se mal com o calor, chegando mesmo a vomitar. Disseram que a professora já tinha tentado um pouco de tudo, desde molhar as crianças com água, até colocar ventoinhas, mas reclamam que nessas condições fica difícil promover a aprendizagem.
Ainda a respeito da Freguesia da Moita, um munícipe apresentou a sua insatisfação face ao barulho extremo que se faz sentir de noite e madrugada na Rua 5 de Outubro e Praça da República nos dias de festa e apelou a que houvesse um controlo nos níveis de ruido, a bem daqueles que ali vivem e precisam descansar.
Esteve também presente o guarda noturno da Moita que perguntou à autarquia se para além da licença já emitida naquela freguesia, se poderiam conceder-lhe outra, nomeadamente para a União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira.
No período antes da Ordem do Dia os vereadores do PS participaram ativa e vivamente na análise à forma como decorreram as Festas em honra de Nª. Sra. da Boa Viagem e fizeram referência aos temas ali levantados, assinalando ainda outras questões que lhes chegam através dos meios digitais, ou nas visitas que vão fazendo no concelho.
Assinalámos as carências da Praceta dos Crisântemos, no Vale da Amoreira, no que se refere à iluminação, limpeza do espaço público, às baratas e animais errantes.
Referimos, uma vez mais, as queixas dos munícipes sobre a falta de iluminação e os períodos em que a mesma permanece apagada, fazendo com que as pessoas de manhã quando se dirigem para o trabalho ou quando regressam do mesmo, encontrem os candeeiros apagados.
Alertámos uma vez mais para a necessidade de repensar o mobiliário urbano presente no parque José Afonso na Baixa da Banheira uma vez que os bancos agora existentes são desconfortáveis pois alguns são modelos sem costas.
As 2 Propostas presentes na Ordem do Dia foram ambas aprovadas por unanimidade, tendo os Vereadores do PS questionado a razão de só agora se alterar o Regulamento dos Cemitérios dado as Leis pelas quais a alteração é justificada, serem de 2010 e 2016 e o Regulamento a alterar ter a sua última versão datada de 2004.
A propósito questionámos se o Regulamento a alterar iria ter em conta aprendizagens que evitassem o sucedido em 2017 com a perda de ossadas no cemitério do Pinhal do Forno na Moita.
Enquadrado ainda no tema, foi por nós questionada a Câmara se todas as ossadas desaparecidas já teriam sido identificadas através dos testes de ADN mandados executar. O Presidente da Autarquia informou faltarem ainda identificar duas das ossadas.